sexta-feira, 15 de julho de 2011

VAMOS DAR UM ABRAÇO NO SOFIA!

Sônia Lansky, licenciada da Comissão Perinatal e uma das idealizadoras do Movimento
BH Pelo Parto Normal, mandou e-mail na Lista Bem Nascer, dizendo que o Sofia Feldman tem os melhores índices de Belo Horizonte, no que diz respeito à redução da cesárea e mortalidade materna e infantil.

Jane Adélia teve seu filho no Hospital Sofia Feldman e foi muito feliz!

(Um parto mágico, sagrado, maravilhoso - da Inessa e Obregon -, que aconteceu na casa de partos do Sofia Feldman. Inessa tem plano de saúde e optou por ter seus dois filhos no Sofia e criou na ong Bem Nascer o Movimento Mães Felizes com o Sofia.)

Vivi essa semana momentos difíceis no Hospital Sofia Feldman, onde trabalho na Assessoria de Comunicação, vendo a imprensa mineira massacrar o hospital, por causa da morte de um recém- nascido. A mãe disse que foi atendida num quarto cheio de goteiras que, na verdade, ficava numa ala já interditada pela Vigilância Sanitária. Ela fez uma filmagem onde dava a entender que o quarto com goteiras era o mesmo da enfermaria.

A imprensa que gosta de más notícias, plantou-se na frente do hospital, filmou à vontade e depois editou de uma forma que condena desde já o hospital e não espera o laudo do IML para ver veredicto da morte. Fiquei sabendo, espantada, que nem todas as mulheres do SUS fazem o exame para ver se tem uma bactéria de nome streptococus, que pode causar a morte do bebê, no pré-natal. Antes de averiguar ao fundo, já falam em infecção hospitalar. Desconsideram todas as boas notícias, que o Sofia é referência nacional e internacional em humanização na atenção ao parto e nascimento, que é a maior UTI neonatal de Belo Horizonte, que atende pessoas de várias cidades ao redor. Percebemos que a imprensa ignora algumas filosofias e procedimentos indicados pelo movimento da humanização do nascimento. Que o Rede Cegonha se inspirou em suas ações e práticas.

A mãe dizia horrorizada que o parto havia sido feito por uma enfermeira. Todos esqueceram de colocar o "obstetra", enfermeira obstetra totalmente capacitada para atender partos e que a Rede Cegonha do Ministério da Saúde, garante a presença delas na equipe de saúde.
A mãe também disse que o pai é quem cortou o cordão, achando um absurdo. Todas nós sabemos que isso facilita o elo entre pai e filho e é uma ação desejada pelas mães mais conscientes.

Costumam dizer que o hospital é um açougue. Açougue são os hospitais cesaristas, que andam sangrando as mulheres, cortando suas barrigas em massa, fazendo episiotomias de rotina, muitas vezes mutilando essas mulheres, sem esperar o tempo do trabalho de parto, intervindo com sôros, fórceps... Recebemos essa semana o apoio de muitas usuárias e usuários, se dizendo indignados pelo tratamento dado ao hospital, que ali foram respeitados e se sentiram gente, verdadeiros cidadãos. Temos diversas usuárias da ong Bem Nascer que tiveram experiências felizes na casa de partos e na maternidade do hospital.

E mais uma coisa. O Sofia é um hospital porta aberta, a orientação é de não fechar as portas para ninguém. Seu lema é amor à humanidade. Chegam ali mulheres enviadas por várias outras maternidades. E o hospital, que é chamado de público pela mídia, vale esclarecer, é uma entidade privada com fins filantrópicos. É dirigida por uma fundação e tem o apoio de uma associação do bairro. Atende, por opção, 100% SUS.

Se o Sofia fechasse as portas por alguns dias, haveria um caos, onde as mulheres teriam seus filhos? A Maternidade Odete Valadares anunciou uma crise essa semana e passou a trabalhar com a metade do seu espaço. A verdade é que o Sofia resolve a vida de muitas prefeituras, do governo, da prefeitura de Belo Horizonte, fazendo 850 partos por mês, 1/3 dos partos de Belo Horizonte. Quando se fala em partos naturais, também é lá que a imprensa vai, mas com notícia positiva, o nome do hospital não aparece, mas a ele se refere como uma hospital da região.

A imprensa deveria dar espaço e voz para essas usuárias que foram felizes no Sofia, para as centenas de mulheres que lá foram atendidas, com respeito, foram respeitadas em sua fisiologia e a naturalidade dos processos de nascimento. O Sofia é vanguarda e hoje é exemplo para o Brasil e o mundo. Pudemos perceber isso no Congresso Internacional de Enfermagem Obstétrica. Mais de 300 profissionais fizeram visitas técnicas à maternidade. Obstetras e enfermeiras obstetras do Sofia dão treinamento para profissionais de saúde da Amazônia Legal e Nordeste, para multiplicar essa experiência desse hospital atípico, porque não é da prefeitura, não é do governo de Minas, é do povo, da comunidade do Bairro Tupi.

Está nascendo uma proposta, dar um abraço simbólico no Sofia Feldman, manifestar nossa solidariedade e respeito. A data, assim que for definida, divulgarei.

4 comentários:

  1. Minha filha tbm nasceu no Sofia! Dizem por aí que lá só fazem parto normal e deixam a "mulher sofrer" Que bom que me aconteceu esse "sofrimento" de forma digna e humanizada respeitando os limites do meu corpo e o tempo que minha filha necessitou para estar do lado de fora. Tive uma cesa intraparto necessária com toda assitencia respeitosa e digna que uma mulher merece. Fui tratada com carinho e não como mais uma do "açougue". Almoçamos, lanchamos e jantamos, todos juntos... médicos, enfermeiros, visitantes, e parturientes em um mesmo refeitório comendo a mesma comida. Todos IGUAIS!!! Assim como pede o mandamento divino, sem distinção de raça. Fui FELIZ no Sofia e a ele meus aplausos de pé pela humanização e respeito a mulher e sua cria!!!

    ResponderExcluir
  2. Cleise, estou solidária a tudo que você bem retratou. Assim, que marcarem o 'ABRAÇO SOLIDÁRIO' quero fazer parte também. Impressa massacrante, diante de pessoas 'cegas' por um prá natal mal feito, pois se tivesse qualidade saberiam das BOAS práticas bem realizadas pelo Sofia. Achei de péssimo gosto ver a impressa pressionando o Dr Ivo. Nossa, uma sensação de indignação e mal estar tomou conta. Por que os 'abustres' não fazem tais reportagens porcas na frente de instituições privadas, que mutilam bebês, mães, famílias. Sinto um 'choro' silencioso, pois o mundo grita por ser ouvido e vem essa massa horrorosa e nos abafa. Vamos abraçar não o local em si, mas o IDEAL de respeito pela mulher, pelo nascimento, que somente lá é oferecido. Isabel

    ResponderExcluir
  3. vocês falam bem porque seus bebés estão com vocês
    pois eu fiz todo meu pre natal estava tudo bem ate completar nove meses e tive a mal sorte de ter ido para esse hospital que cheguei lá e me maltrataram fiquei 18horas em trabalho de parto fizeram fosceps meu bebé nasceu com 3.480e 52cm ele nasceu sem chorar e sem acordar ficou assim por vinte cinco dia na uti ate falecer espero o laudo da pericia que ajá justiça

    ResponderExcluir
  4. eu tivee meu filhoo no sofia
    fikeei na casa da gestante
    nao tenho muito que reclamar do sofia
    la eles me atenderam muito beem
    um lugar otimo, mais tem muitas coisas pra melhorar ainda
    e otimo hospital se elees veer ondee q tem melhorar aindaa
    fikaraa muito boom
    agradeço a todas equipe do sofia q atenderam o meu filho
    cuido delee ate os ultimos momento
    e q cuido de miim enquanto eu tava la na casa da gestante
    meu filho faleceu laa no sofia com um 1 mes e 13 dias de vida
    colocaram coisa no atestado de obito q eu nao sabia
    e q ate hoje tenho duvida a respeito disso
    e ate hoje nao tive explicassao deles a estaa espctos eles tem q melhor poder explicar pra gentee o q estar acontecendo com os nossos filho se agentee nao perguntar eles nao fala e deixa praa laa isso eeles tem q melhorar. mais outras tah tudo beem meu parto graças a Deus deu tudo foi cesaria mais depois q passo nestecia passo fikeei sofrendo de dor laa deixaram eu bastante tempo sentindo dor pra depois me dar injecção antes tinha tomado buscopan na veia mais nao adianto nda pra miim.

    ResponderExcluir