quarta-feira, 11 de março de 2009

DOCE VENTRE MARIA


Ave Maria!

Ave Mãe!

Ave graça!



O Senhor é convosco!

O Senhor é conosco!



Bendita sois entre as mulheres

porque pariu a Luz

Bendita sou entre as mulheres

porque pari meu filho.



Ave materna!

Ave terna!

Ave eterna!

Ave terra!



Bendito o fruto de vosso ventre!

Bendito o fruto de todos os ventres!

Cristo.



Ave garça!

Ave graça!

Santa Maria!

Santa mãe de todos os homens!

Rogai por nós!



Ave branda!

Ave branca!

Ave alva!

Ave asa!



Bendita a seiva de todos os ventres!

Bendita a sede de todos os filhos!

Bendito o amor de todas as mães!



Ave Maria!

Ave pássaro!

Ave mulher!

Ave ave!



Doce ventre Maria.



Ave Maria de todos os ventres!

Ave Maria de todos os seios!

Ave Maria de todos os dias!

Ave Maria de todas as fêmeas!



Amem.

Amém.

Quando tive o meu primeiro filho, Iago, hoje com 23 anos, eu me senti totalmente saciada, até fisicamente, no útero, no cerne do meu ser. E como nasci poeta, escrevi muitas poesias e ainda não publiquei. Agora, aqui nesse blog, aos pouquinhos, colocarei a minha literatura nascida dos nascimentos dos meus filhos. Junto com DOCE VENTRE, fiz mais duas.
MÃE DO MUNDO
Mãe de todos os homens
Mãe de todas as mulheres
Purifique a semente da fêmea
Enterneça os gestos
Amplie o amor
Para que sua luz mansa, fértil e carinhosa
transborde através delas
das muitas e anônimas
e envolva a humanidade.
Luz prenha! Criativa! Fecunda!
Úmida! Farta! Feminina!
Que o mundo seja um útero
e acolha homens em calor
e alimente fetos
em fartura e amor.
Que construa homens novos,
porque amados.
Mãe de todos os homens
Mande o anjo do verbo habitar minhas palavras
Engravide minhas linhas
Para que em todos os meus dias
Eu possa dar a luz!!!
ÚTERO DE LUZ
Sou mãe
Isso me aproxima de Deus
Sou criador e criatura
Meu útero palpita
No útero da Terra.
Fecundei.
Gestei.
Pari.
Animalesca, humana,
sagradamente.
Tudo parece o mesmo
mas tudo é diverso
no meu modo de ver e sentir.
Jeito mais maduro
fruta madura
que breve transmuta
fruta em plenitude
de cheiro e de gosto e de cor
Fruta que alimenta ou fecunda
em adubo.
Sou calma como vaca de peito cheio
Tenho nas ancas o sossego das matronas.
DEI A LUZ!!!
A LUZ!!!
Uma mulher que governasse com o útero
jamais faria a guerra!!!

Um comentário:

  1. Que lindo poema!! Traduz toda a nossa essência. A essência viva feminina que adentra nosso ventres e nos torna mulher, mãe...natureza.

    ResponderExcluir