sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

SORTUDO!

Segundo a parteira Ana Cristina Duarte, dizem que os bebês nascidos na película que envolve os líquidos terão sorte por toda a vida. Antigamente as parteiras faziam amuletos com essas membranas ressecadas, para dar aos navegantes que se aventuravam pelo mar, e que retornassem sãos e salvos dos reinos das águas para o reino da terra.

"O bebê não corre perigo algum enquanto está no saco amniótico, por que ainda está recebendo oxigênio do cordão umbilical, e não vai tomar seu primeiro fôlego enquanto não for exposto ao ar pela primeira vez.
Existem muitas lendas cercando a placenta. A mais comum diz que a criança que nasce com a placenta sobre a cabeça (a “coifa”), se guardar a mesma, não morrerá afogado. Outro mito que cerca o parto empelicado é que o bebê que nasce assim terá a sorte na vida garantida.
Se vai mesmo ter sorte, não dá para saber. Mas o fato de ter nascido com a placenta íntegra deve proteger o bebê de contaminação durante o parto. E com a estimativa de que apenas 1 em cada 80.000 partos é “empelicado”, não dá para dizer que o bebê não é sortudo."
Eu tive uma filha que nasceu empelicada.Meu segundo parto foi uma maratona muito rápida, durou cinco horas, só. Me preparei com Yoga, Acupuntura e Homeopatia. Cheguei ao hospital com a Iana quase nascendo. Segundo o médico, meu querido e amicíssimo Marco Aurélio Valadares, quase nasceu no elevador. O pai viu uma bolha saindo e Iana escorregou numa cachoeira de água. Um nascimento realmente muito suave. Para mim, aquela maratona levou-me ao êxtase após o nascimento, presenciado pelo acupunturista, Luis Carlos Melão, que foi para o andar de cima. Ele ficou comigo enquanto o pai acompanhava o bebê nos exames habituais naqueles dias de 1985.

Nenhum comentário:

Postar um comentário