terça-feira, 29 de março de 2011

DILMA LANÇA REDE CEGONHA EM BELO HORIZONTE!


Na foto, todas integrantes da ong Bem Nascer: Nelcy Muller (enfermeira obstetra), Cleise Soares (jornalista e Professora de Yoga), Isabel Cristina (Doula e massoterapeuta), Odete Pregal (enfermeira obstetra), Daphne B.Paiva (doula e psicóloga) Mirian Rego (enfermeira obstetra) e Pollyna (Doula e Analista de Sistema)




Nas fotos: Do lado esquerdo, a presidenta Dilma Rousseff colocando o nosso JORNAL BEM NASCER em um envelope. Ao meu lado, Dona Cegonha, primeira doula comunitária de BH.Militantes da ong: a Pollyana Amaral com a Mirian Rego e com a Inessa Malaguth. (As fotos são do acervo da Polly, integrante da ong Bem Nascer)

Minha filha chegou dizendo, mãe, eles vão fechar o Palácio das Artes porque a presidenta vem aqui.- Pois eu vou estar lá! Fui uma das representantes da ong Bem Nascer no evento, convidada pela Secretaria Municipal de Saúde. Estavam ali representados todos os 40 parceiros do Movimento BH Pelo Parto Normal. Foi uma honra, um reconhecimento de nosso papel na cidade de Belo Horizonte. E fomos uniformizadas com nossa camisa "Diga SIM ao parto normal. Conseguimos levar até Dilma exemplares do Jornal Bem Nascer. A Pollyana Amaral, da ong e da Parto do Princípio enviou um documento sobre a Lei do Acompanhante.
De vez em quando uma outra liderança gritava palavras de ordem. Todos saudaram Dilma com o tradicional olê ole ole olá.Dilma Dilma. Até os que não votaram nela. Ela estava elegante em um terno azul índigo e bem mais magra. O que vi ali? Uma mulher, como todas nós. Presentes os deputados, ministros, excelências estaduais e federais...Todos homens como nós. É incrível, acostumamos a vê-la pela televisão e, de perto, é uma mulher apenas. Mas o mais impressionante é que tem um grande poder de decisão no Brasil e influência no mundo.

DONA CEGONHA

Quando sentei, fiquei ao lado da "Dona Cegonha", que coincidência! Foi uma das primeiras doulas do Hospital Sofia Feldman e, da sua experiência, nasceu o projeto Doulas Comunitárias, da SMSaúde. Aliás, o Sofia foi várias vezes mencionado pela gestante Queli Costa, que, por um momento, foi celebridade. Ostentou orgulhosa a sua barriga de oito meses, segundo filho, declarando amor e agradecimentos ao atendimento naquela maternidade. Depois, foi saudada por parte dos palestrantes.

Muito aplaudido foi Fernando Pimentel (ex-prefeito de BH) e Antônio Anastasia (o governador) ganhou muitas palmas, mas quando disse que a mãe era professora, ganhou vaias dos professores presentes. O prefeito da capital, Márcio Lacerda recebeu palmas formais. Dilma foi ovacionada. O Ministro da Saúde - Alexandre Padilha, disse que recebeu da presidenta, a incumbência de anunciar novas políticas para as mulheres e desenvolver um conjunto de ações no mês de março, em comemoração ao Dia Internacional das Mulheres.

Por sua vez, Dilma declarou que escolheu Belo Horizonte para lançar a campanha não só porque aqui nasceu, mas porque os projetos que começam aqui, tendem a dar certo ne se transformam em exemplo para o Brasil.

Dona Cegonha (Aparecida) estava emocionada ao ver o Hospital Sofia Feldman, onde trabalha como voluntária ser citado diversas vezes como exemplo para o próprio Ministério da Saúde. Quando o nome do Sofia era mencionado, havia gritos da platéia. Entre eles, o nosso, das militantes da ong Bem Nascer. Muitas delas, mesmo tendo plano de saúde, migraram para o SUS humanizado, para a casa de partos do Sofia Feldman. Dona Cegonha, como é conhecida, disse que "se sentia como uma celebridade. Amo o que faço." Ela teve 8 filhos de parto normal e seis adotados. Garante que já assistiu a mais de mil mulheres, dando apoio e acolhimento às mulheres no parto.


FALTOU ALGUMA COISA?...


As parteiras tradicionais do Jequitinhonha foram citadas algumas vezes, porque receberam capacitação do governo.. Mas não ouvimos Dilma e os outros falarem de ...de ENFERMEIRAS OBSTETRAS... muito menos de DOULAS... A enfermeira obstetra, Mirian Rego, que ajudou a pediatra Sônia Lansky a implantar o Movimento BH Pelo Parto Normal, escreveu um bilhete e mandou para a Dilma. Ao microfone, a presidenta não se referiu à questão, mas respondeu a outro bilhete que perguntava por creches: ela prometeu construir milhares de creches até o final do mandato e afirmou que a creche não deve ser um depósito de meninos, mas levar educação à criança. Recomendou também a Mãe Cangaru (com certeza uma experiência que começou no Sofia Feldman). Encontrei lá, o idealista, Dr. Ivo de Oliveira, diretor da maternidade. O Dr. Virgílio Queiróz, que é da Secretaria de Saúde do município e está implantado o quarto PP na Maternidade Otaviano Neves, um verdadeiro desafio, já que lá a maior parte dos partos são cirúrgicos.


GRAVIDEZ NÃO É DOENÇA


A presidenta Dilma Roussef por várias vezes repetiu esse slogan - Gravidez não é Doença -, mostrando disponibilidade para encarar o parto de forma mais fisiológica e natural. Também reconheceu que o parto normal é melhor para a mulher.. A cegonha - segundo os folhetos - vai começar captando as gestantes no pré-natal, oferecer seis consultas, ultrassom, além de testes para Aids e Sífilis. A Rede Cegonha promete um conforto, táxi para as gestantes irem à consulta. Tudo para garantir o pré-natal e evitar mortes materno/infantil evitáveis. Essa garantia de transporte será feita entre o governo e a Caixa Federal/ em parceria com estados e municípios para sua implantação.

Foi criado o Samu Cegonha, para atender demandas da mulher grávida. Segundo o projeto,serão implantados mais Centros de Parto Normal e será melhorada a ambiência interna através da criação de mais quartos PPP (pré-parto, parto e pós-parto), nos moldes recomendados pela ANVISA - portaria RDC 36.

Dilma prometeu aplicar 9,3 bilhões de reais no Ministério da Saúde até 2014. O Ministro da Saúde garantiu que haverá reuniões com todos os estados, para ajudar tudo isso a virar realidade. Informou que 27% das mulheres sofrem violência no parto. Diminuir essa violência e a mortalidade materno/infantil são os focos do projeto.


Anastasia, sempre muito cauteloso, verdadeira cria de Aécio Neves, a prudência e retidão em pessoa. Ele disse que será com o governo federal, parceiro de primeira ordem e desenvolverá um debate "republicano, de altíssimo nível". Terminou o discurso, declarando que não há palavra mais linda que a palavra MÃE.

Segundo o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, será desenvolvida uma rede de cuidados às mulheres durante a gravidez, parto e pós-parto, garantindo para que sejam mais seguros e humanizados. Depois do bebê nascido, terá acesso a exames, avaliações e campanhas pelo aleitamento materno.

"O momento da gravidez, parto, nascimento e os primeiros anos de vida são, comprovadamente, um período familiar fundamental, que impacta consequentemente a sociedade em geral. ", reza o documento da Rede Cegonha, distribuído para o público que lotou o auditório do Palácio das Artes. Nós, da ong Bem Nascer, tiramos fotos diante do emblema da Rede Cegonha, orgulhosas do lugar que ocupamos no cenário da maternidade em Belo Horizonte.

O que é um pontinho vermelho no palco do Palácio das Artes no lançamento da Rede Cegonha?
É o artista plástico, Romero Brito, que se sentou ao lado das dezenas de autoridades vestidas de terno preto, em um impecável, vermelho forte. Ele criou as imagens da campanha REDE CEGONHA e doou os 10 quadros, que foram expostos no saguão central do Palácio. Suas reproduções foram distribuídas aos presentes em um pequeno envelope.

Dilma reafirmou sua decisão de acabar com a miséria no Brasil. E quer começar pelo "princípio da vida, as grandes geradoras e a seus bebês, o futuro do país."

Nenhum comentário:

Postar um comentário