segunda-feira, 10 de maio de 2010

MOMENTO POESIA!

À esquerda, as queridas mamães da ong Bem Nascer, orgulhosas com seus nenês no colo na Bem Nascer de Acolhimento, onde as mães trocam visitas de pós parto.

Esta é Juliana Guedes, que ajudou a ong a acontecer em seus primórdios. Tem três filhos, todos partos domiciliares.
Embaixo, minha irmã Alice com seu querido filho e meu sobrinho, Gabriel e
a Rita, logo após o nascimento do seu nenê, num parto em casa,
assistido pela enfermeira obstetra, Mirian Rego.


AQUI
ALGUNS POEMAS
QUE GESTEI
ENQUANTO GESTAVA MEUS
FILHOS...
UMA HOMENAGEM
A TODAS AS MÃES...



Você me liberta
me educa
e me ensina
sem nada dizer
sem nada pregar
apenas sendo
e nascendo de mim
e de mim sugando
e em si vivendo.

Bendita a seiva de todos os ventres!
Bendita a sede de todos os filhos!
Bendito o amor de todas as mães!

Quando sorri
feliz aos meus afagos
e ao contato da água
líquido amniótico
sua inocência me contagia
e fico falando besteira
pulando feito palhaço
só prá ele rir
e ele ri e ri e ri
gargalho também
e nada existe além da alegria

Suas lágrimas jorram em mim
e me comovem
Seu grito ressoa no meu corpo
e ecoa pelas extremidades
Sua dor é minha.

Meu corpo ainda não sabe
que você não é ele
e hormônios e glândulas e sangue e ar
Ele ainda não sabe.

Supero a própria morte
e obstáculos e o sinto latente
falando sem palavras
chorando sem soluços
rindo sem gargalhadas.

Tudo dentro de mim.

Bendita sois entre as mulheres
porque pariu a luz.
Bendita sou entre as mulheres.
porque pari meu filho.

Bendito o fruto do vosso ventre.
Benditos os frutos de todos os ventres.

ÚTERO DE LUZ

Sou mãe, isto me aproxima de Deus.
Sou criador e criatura.
Meu útero palpita no útero da terra.
Fecundei. Gestei. Pari.
Animalesca, humana, sagradamente.
Tudo parece o mesmo
mas tudo é tão diverso
no meu modo de ver e de sentir.
Jeito mais maduro
fruta madura
que breve transmuta
fruta em plenitude de sabor e cheiro e cor
Fruta que alimenta ou aduba.
Tenho nas ancas o sossego das matronas.
Dei a luz! A luz!
Uma mulher que governasse com o útero
jamais faria a guerra!

Nenhum comentário:

Postar um comentário