quinta-feira, 9 de abril de 2009

UM MOMENTO PARA POESIAS

MEUS FILHOS
Hoje eles andam diante de mim
Pedaços meus
Retalhos do nosso amor
Eles sempre me lembrando o pai
Mesmo que muito longe.
Neles.
A outra conta de um amor maior
De aventura
rompimentos de fronteiras
rompantes e saborosas.
Sua cor cheirogosto sua ginga
contam
os grandes olhos de Renato brilham nos seus
A pele as cores as parecências
As diferenças
Taça de raças
Raça humana
Raça brasileira
Mistura de húmus e súmus
E gostos e aromas.
Ayrá Sol
Responsável pela infância ainda estar na minha vida
CHOCANDO
Me deixe quieta
estou chocando.
Já viram galinha no choco?
Pois é.
Quero ficar quieta no meu canto.
Chocando.
SOS Mulheres
Queremos chocar tranquilas!
Não nos perturbem!
Vida moderna nos esqueça!
Universo, providenciai!
"Não digas: Este que me deu corpo é meu pai
Esta que me deu corpo é minha mãe
Muito mais seu Pai e sua mãe
são os que te fizeram em espírito
E estes foram sem número
sem nome
De todos os tempos..."
(Cecília Meireles)
"Vossos filhos não são vossos filhos
São os fihos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vem através de vós, mas não são de vós
E embora vivam conosco, não nos pertencem"
(Kalil Gibran)

Nenhum comentário:

Postar um comentário